Notícias e Eventos

Outubro Rosa e Novembro Azul

Data: 08/11/2017

No dia 08 de Novembro a Ripack, em parceria com a ALICC - ASSOCIAÇÃO LIMEIRENSE DE CUIDADO E CARINHO irá realizar um evento em suas plantas sobre o tema de câncer de mama, referente ao Outubro Rosa e do câncer de próstata, Novembro Azul.

 

Comemorado desde os anos 90, o “Outubro Rosa” visa a estimulação do conhecimento e controle ao Câncer de Mama. O governo brasileiro incentiva a disseminação sobre o tema de forma preventiva e as formas de tratamento. Segundo o portal brasileiro, este é o tipo mais comum de câncer entre as mulheres brasileiras.

 

A Ripack de forma pública, apoia e enfatiza a importância de a mulher conhecer sobre o tema. Esta doença é causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Possui diversos tipos e têm desenvolvimento rápido enquanto outros podem ser mais lentos. Em 2016 a previsão era de cerca de 58 mil novos casos. Um dos importantes fatores é a idade, pois cerca de 80% dos casos são identificados em mulheres acima de 50 anos.


Apesar da doença afetar principalmente as mulheres, cerca 1% do total dos casos são diagnosticados em homens.

 

A recomendação no Brasil, atualizada em 2015, é que mulheres entre 50 e 69 anos façam uma mamografia a cada dois anos!

 

“Novembro Azul” também como objetivo a estimulação do conhecimento e controle ao Câncer, porém de Próstata. Este, só fica não é superado pelo Câncer de pele. Este é considerado com maior incidência após os 65 anos, cerca de 75% dos casos registrados. A estimativa para esta doença foi de cerca de 61 mil casos em 2016 no Brasil, com mais de 13 mil mortes em 2013.  De acordo com o INCA – Instituto Nacional de Câncer, 90% dos casos identificados no Brasil são em homens acima de 55 anos.

 

As formas de prevenção são o Exame de toque retal e de PSA – Antígeno Prostático Específico que podem indicar a doença. Para a confirmação da doença, se faz necessário a biópsia.


A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que os homens a partir de 50 anos sejam orientados sobre os riscos e benefícios do rastreamento para que possam decidir sobre a realização dos exames.